RSS Facebook Twitter Blog
Revista Luz & Cena
Blog da Redação
Quer um pouco mais de AM&T no seu dia a dia? Então está no lugar certo! No Blog da Redação você encontra bastidores de matérias, vídeos, dicas de sites, impressões sobre aplicativos, equipamentos, discos, shows...
Listando posts com a tag sonorização.
Postado por Marcio Teixeira em 07/10/2011 às 19:02
Marcio Teixeira
Palco Sunset: ótimos shows e algumas disputas com o som do Palco Mundo (Marcio Teixeira)
Palco Sunset: ótimos shows e algumas disputas com o som do Palco Mundo
Então o festival chegou ao fim. Passou rápido, possivelmente porque a espera era muito grande. De qualquer forma, em 2013 tem mais. Que chegue logo e que traga todas aquelas atrações sonhadas por cada um de nós.

Sobre o som do evento, devemos destacar a alta potência, coisa que, hoje em dia, já não é mais regra. Muitos são os shows nos quais podemos conversar tranquilamente com a pessoa ao nosso lado, uma vez que o volume e a pressão sonora da apresentação parecem ajustados para algo como um som ambiente levemente mais alto. No Rock In Rio, não: som pulsante, intenso, com algumas diferenças aqui e ali, entre um show e outro. Mas, claro, também alguns equívocos.

Enquanto, por exemplo, no Palco Sunset, Júpiter Maçã & Cidadão Instigado fizeram um show que podia ser escutado por quem ainda estava do lado de fora, na fila, apresentando um som que brigaria de igual para igual com qualquer banda que pudesse, naquele momento, estar no Palco Mundo, Mike Patton e seu Mondo Cane tiveram que esperar o NX Zero sair do palco principal para que o som não fosse completamente arruinado pelo alto volume em que as músicas do grupo paulista eram executadas. E o mesmo Mondo Cane, responsável por uma das melhores performances do festival, ainda teve que lidar, no fim de seu set, com o início do show do Stone Sour no Palco Mundo, e, consequentemente, com uma batalha sonora temperada por gritos de "shut up!" de Patton.

Um exemplo claro da força do som do festival, principalmente do main stage, surge da comparação entre o show dos Red Hot Chili Peppers no dia 24 com o realizado na quarta-feira anterior, em São Paulo, na Arena Anhembi. Enquanto no Rio o volume fazia o chão tremer, em São Paulo, mesmo quem estava na Pista Premium, logo bem próximo ao palco, não escutava um som potente a ponto de competir com as vozes do público, que acompanhava os principais sucessos do grupo. Era alto e claro, mas nada entusiasmante. Poderíamos até teorizar sobre talvez se tratar de uma tendência, embora, aparentemente, não seja.

A partir do próximo post, já longe da empolgação do momento, como foi cada dia do festival.
+ Notícias
Autor: Fábio Henriques
(196 páginas)
de R$ 54,00
por R$ 50,00
* válido até 15/12/2017
Pronta entrega
 
Autor: Roberto Gill Camargo
(140 páginas)
de R$ 40,00
por R$ 20,00
* válido até 15/12/2017
Pronta entrega